quinta-feira, 13 de setembro de 2012

PREVISÕES PARA A COPA DE 2014



Como sou um irresponsável, vou fazer, com dois anos de antecedência, algumas previsões sobre a Copa do Mundo de 2014, que será realizada aqui no Brasil. Ao final do torneio, prometo fazer um texto assumindo os meus erros e enaltecendo os meus acertos.

Vamos lá. De início, já descarto a Itália e a Inglaterra como candidatas ao título. Italianos e ingleses nunca souberam jogar futebol e dificilmente vão aprender isso nos próximos dois anos. Sempre me espantou a incapacidade que os ingleses têm de produzir um craque de verdade. Na Inglaterra, nunca é Zico ou Zidane – é no máximo, Frank Lampard ou David Beckham; nunca é Laudrup ou Maradona – é no máximo Steve Gerrard ou Steve Mac Manaman; nunca é Messi ou Ronaldo – é no máximo Wayne Rooney ou Michael Owen. Os jogadores ingleses se assemelham àquelas mulheres de quem dizemos: “Se eu não estiver fazendo nada...” Os italianos, por sua vez, são um pouco melhores; já deram ao mundo craques de verdade, como Gianluigi Buffon, Franco Baresi e Roberto Baggio. O problema é que a atual seleção italiana não tem, além de Pirlo, nenhum grande jogador e vem fazendo uma renovação tão drástica quanto a seleção brasileira. Do time envelhecido da última Copa poucos terão o prazer de conhecer a beleza das nossas mulatas e de fugir das balas perdidas. Por isso, dou Itália e Inglaterra como cartas fora do baralho.



O caso da Alemanha é particularmente curioso. Os alemães nunca souberam jogar futebol, é verdade, mas sua atual seleção está repleta de bons jogadores: Muller, Ozil, Gotze, Lahm, Kroos, Schweinsteiger, Khedira, Reus, Marin e Podolski mostram que alguma coisa muito errada está acontecendo com o futebol alemão, pois os alemães de hoje não jogam como verdadeiros alemães, o que de fato é muito bom para eles. Isso faria da Alemanha uma grande concorrente ao título se não fosse o fato de a Copa ser no Brasil. Muita gente dá pouca importância ao local onde o torneio é disputado, mas até hoje isso quase sempre foi um fator determinante: em todas as Copas disputadas na América do Sul, uma seleção sul-americana foi campeã, e em todas as Copas disputadas na Europa, com a exceção da de 58, vencida pelo Brasil, o campeão foi alguma seleção européia. Não creio que os alemães sejam capazes de suportar o sol quente que faz por essa parte do mundo. Vejo a Alemanha como a maior favorita para conquistar a Copa de 2018, que será disputada na Rússia, primeiro porque a maioria dos jogadores citados ainda estará em atividade, e segundo porque na Rússia faz um frio dos diabos. 


Outro favorito é a França, mas eu duvido que a França vá mesmo querer ganhar uma Copa do Mundo aqui no Brasil, já que ninguém gosta de retornar ao seu país dentro de um caixão. Ademais, embora o atual técnico dos “azuis” Laurent Blanc tenha conseguido dar um padrão de jogo à equipe, os franceses não contam agora com nenhum craque do nível de Zidane ou de Henry. Nem mesmo Ribery, craque do Bayer de Munique, se compara a eles. Isso tanto é verdade que em 2006, na Alemanha, Ribery era um mero coadjuvante numa seleção cujas estrelas eram Zidane e Henry. Nasri, Malouda, Benzema, Menez, Abidal, Evra e Mexes são bons jogadores, mas estão muito longe de ser verdadeiros craques. De qualquer forma, acredito que a França possa chegar pelo menos até às quartas-de-final.

A respeito da Holanda, que nos eliminou na última Copa, também não tenho bons augúrios. Os holandeses sempre foram talentosos, e a atual seleção conta com craques do nível de um Robben, de um Van Persie e de um Sneijder, capazes de desequilibrar uma partida a qualquer instante. Mas a zaga é ruim, os laterais fracos, e até hoje não fui capaz de confiar plenamente em Stekelenburg. Ele sempre me pareceu aquele tipo de goleiro que pula para não alcançar a bola. Por terem eliminado o Brasil em 2010, a Holanda também corre o mesmo risco que a França; portanto, se têm amor à vida, os holandeses não irão ganhar uma Copa justamente aqui. 

O caso da Espanha, a última favorita européia, é bem interessante. A atual seleção espanhola possui o melhor meio de campo do mundo. Busquets, Xavi, Iniesta, Fabregas puseram o Santos na roda na final do último Mundial Interclubes - parecia até que era um jogo de “bobinho”. E ainda há, para completar o setor, David Silva, Mata, Xabi Alonso, Thiago Alcântara, entre outros. O ataque também está bem servido, com Villa, Pedro, Torres e os ascendentes Muniain, Tello e Cuenca, que logo estarão sendo convocados regularmente. A zaga, com Puyol e Piquet, o gol, com Cassillas e Reina, e as laterais, com Sérgio Ramos e Juan Alba, ficou até melhor em relação à última Copa, já que Alba é muito mais jogador do que Capdevilla. Se futebol fosse uma ciência exata, se não houvesse tantos fatores para tornar o resultado da partida imprevisível, eu diria que a Espanha é a maior favorita para levantar o caneco. Por mera superstição, não creio, no entanto, que isso possa acontecer. É difícil que uma seleção consiga ganhar duas Copas seguidas; até hoje só a Itália e o Brasil conseguiram essa façanha. Some-se a isso o fato de que a Copa será realizada no continente americano, que todas as seleções se empenharão em dobro para derrubar a Espanha e, mais importante, que a minha vaidade não permite que os meus palpites estejam errados. Por tudo isso, não creio que a Espanha possa se sagrar bicampeã. 

Na América do Sul, só há dois países com chances reais de conquistar o título: Brasil e Argentina. O Uruguai, conquanto tenha sido o último campeão sul-americano, pode no máximo incomodar as seleções favoritas, talvez até eliminando uma delas, mas não possui hoje plantel à altura de um título mundial.

Quanto à Argentina, não acredito que eles venham aqui com o intuito de ganhar a Copa. A Argentina ainda está lutando pela posse das Ilhas Malvinas e não vai querer acrescentar a esse eterno problema uma guerra com o Brasil. Além do mais, mesmo que os argentinos quisessem encarar esse desafio, mesmo que ousassem jogar tudo o que sabem, não descarto a possibilidade de serem retaliados pelo que fizeram conosco em 1978, quando disputaram a Copa em casa e compraram a seleção peruana para passar uma rasteira no Brasil. Se a Argentina ultrapassar a fase de quartas-de-final, coisa que ela não faz desde 1990, apesar de ter tido grandes seleções nesse período, nossos honestíssimos cartolas certamente encontrarão um jeito de puxar o tapete dos nossos adoráveis hermanos, seja envenenando Messi na véspera da semifinal, seja presenteando-os com uma festa regada a prostitutas, cerveja, maconha e cocaína, de modo que na manhã seguinte os amigos do Messi acordem todos de ressaca e sem forças físicas sequer para encher um balão, quanto mais para disputar uma partida de Copa de Mundo. Se nada disso funcionar, teremos que rezar bastante para evitar que eles avancem até a final, já que o time argentino possui muitos bons jogadores, sobretudo do meio de campo para frente: Mascherano, Cambiasso, Di Maria, Lamela, Pastore, Messi, Tevez, Aguero, Higuain... Atrás é que a coisa se complica, pois faltam um bom goleiro, bons zagueiros e bons laterais. Contudo, ainda restam dois anos para a Copa começar; pode ser que nesse período a Argentina consiga suprir suas carências nesse setor. Se isso acontecer e, repito, se eles tiverem mesmo coragem de vir aqui para ganhar a Copa, apesar de todos os embaraços diplomáticos que isso vai criar, a Argentina tem grandes chances de levantar a taça aqui dentro. Nesse caso, só posso violar minha vaidade e torcer para estar errado. Seria intolerável ver os argentinos comemorar um título em nossa própria casa. Toc, toc, toc! 

A outra seleção sul-americana com chances de ser campeã é o Brasil, claro. Até agora estamos nos ressentindo de uma renovação muito drástica; a impressão que se tem é que os onze titulares da Copa da África se aposentaram para ser substituídos por onze novos jogadores. Sempre que me lembro disso, reforço meu descontentamento com Ronaldinho Gaúcho e Adriano. Esses mandriões deviam estar agora passando o bastão para a nova geração, mas, como estão fingindo há muito tempo que são jogadores de futebol, o resultado é que Tiago Silva, David Luiz, Marcelo, Neymar, Ganso, Oscar, Lucas e Leandro Damião serão atirados no mar infestado de tubarões. Talvez a pressão seja demasiado grande para esses jovens talentos. Meu coração me diz que temos chances de vencer a Copa, mas minha razão acha que meu coração está louco. Sorte nossa é que, sendo a Copa disputada aqui, vai haver muitos esforços políticos para que nosso dinheiro não seja gasto em vão. Nosso caso é oposto ao da Espanha: hoje não temos time para vencer a Copa, mas temos a nosso favor a força do imponderável – do imponderável jeitinho brasileiro... 

Como se vê, há fortes objeções contra cada uma das seleções favoritas. Nesse caso, com quem ficará a taça? Tenho boas razões para acreditar que a Copa do Mundo do Brasil entrará para a história como a Copa das zebras. Por isso, estou apostando todas as minhas fichas na Venezuela, do craque Arango e do bom zagueiro Vizcarrondo, uma seleção que melhorou bastante seu nível técnico nos últimos tempos, a ponto, por exemplo, de não perder para o Brasil já faz uns quatro jogos. A segunda, terceira e quarta colocações ficarão para o Togo, a Nova Zelândia e a Estônia. Qualquer coisa diferente disso, vai me deixar, confesso, bastante surpreso.

De última hora: É claro que eu estou brincando. Mesmo havendo objeções contra cada uma das seleções consideradas favoritas, é bem provável que uma delas ficará com o título. Sendo assim, gostaria de dar um palpite sério. Lamento dizer, mas acho que a Argentina ficará com o caneco. É difícil saber quem ficará com as outras colocações, primeiro porque as eliminatórias ainda estão correndo, e segundo porque, sem a definição das seleções que disputarão o torneio, não pode haver chaveamento. Seria temerário arriscar que Argentina e Espanha chegarão à final, pois essas duas seleções poderiam se enfrentar antes, nas quartas ou nas semifinais. De qualquer forma, acho que Espanha, Alemanha, Portugal e México, não sei exatamente em que ordem, ficarão com o segundo, terceiro, quarto e quinto lugares. O México fará a melhor campanha de sua história. Quanto ao Brasil, sinto muito em dizer isso, não creio que passemos das quartas de final.


[1] - Esta crônica foi escrita por volta de maio de 2012, antes do jogo entre Brasil e Argentina em que Lionel Messi fez três gols, e antes da Eurocopa que sagrou a Espanha bicampeã.


[2] - Pretendo publicar esta crônica em algum livro futuro. Porém, como isso pode demorar, como é possível que a Copa já tenha terminado quando o livro sair da gráfica, decidi antecipá-la aqui. Assim, se as minhas previsões estiverem certas, ninguém poderá me acusar de ser desonesto, de ter previsto o acontecido.


12 comentários:

  1. espero que os brasileiros não ganhem são muito pedante espero que os argentinos ganhem para calr a boca atrevida ods brasileiros que se acham

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou com vc Sandra! Espero que o Brasil não ganhe! Foram gastos muitos bilhões de reais para esse "circo" enquanto esse dinheiro poderia atender muito bem a causas sociais importantes, como por exemplo a saúde.

      Excluir
  2. o brasil não ganha ..imagine um estádio do lado de um hospital falido por mais de 1 bilhão..é muita arrogância...o Brasil vai perder em homenagem ao povo sofrido e roubado do Brasil.

    ResponderExcluir
  3. O Brasil não ganha a Copa disto eu tenho absoluta CERTEZA é bom para que o Brasileiro se despreenda um poco do Futebol que não enche a barriga ded ninguém e acorde para a nossa realidade caótica que atravessamos com um salário indecente sem saúde e educação

    ResponderExcluir
  4. Futebol nao paga as nossas contas...è apenas o oppio dos brasileiros idiotas.

    ResponderExcluir
  5. DEIXEM DE SEREM HIPOCRITAS,QUE ESSE PAIS E FERRADO DESDE QUE TODOS VOCES SE ENTENDEM POR GENTE,NEM SE A COPA NAO FOSSE AQUI NA MUDARIA, PORQUE VOCES NAO APRENDAM A VOTAR, QUEREM MUDANÇAS AS ELEIÇÕES ESTÃO AI.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo Plenamente, Aposto que quando o Brasil ganhar vai todo mundo comemorar e fazer churrasco. Porque nao aprendem a VOTAR? mais não preferem votar no Tiririca e depois reclamam da COPA....me poupe... O MAL DO BRASILEIRO NA VERDADE SEMPRE FOI EM NÃO SER PATRIOTA.

      Excluir
    2. Estou com vocês se a Copa não fosse aqui nada mudaria do que é hoje vocês que falam isso se não gostam do governo votem em outro ...

      Excluir
    3. Não gosto de político, todos sem programas verdadeiros de governo, todos canalhas, e portanto, não é pra votar em nenhum mesmo e continuar reclamando da vigarice do ser humano, isso é saber votar! Voto Nulo já!

      Excluir
  6. Tamanhã idiotice a Venezuela nem na copa tá,,, que ridículo!

    ResponderExcluir
  7. Acho graça quando algum idiota fala que o povo brasileiro não sabe votar.
    Sim tem muitos burros que votam errado e com voto de cabrestro.
    Porem mesmos para os mais esclarecidos, na hora do voto , fica a duvida: se vota no ladrão 1 ou no ladrão 2 ou 3. Entenderam na maioria do pleito só tem malandro candidato e não temos opções. Entenderam ???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo! É isso que alguns idiotas q se julgam esclarecidos, e são manipulados pela mídia, não entendem! Só existe o Voto Nulo como alternativa! Os candidatos são TODOS ladrões!

      Excluir